Lost Highway

6/15/2013 03:03:00 PM

Alguma vez na vida já sentiu uma vontade terrivel de fugir? De fazer uma malinha com roupas, livros, comida, dinheiro, seu "mp3" (celular tem mp3, esclarecendo) e sair? Sair por ai, sem rumo. Se afastar de tudo, e de todos. De toda essa gente de mente fechada, vazia, fútil. De todas essas pessoas monótomas e cansativas. De toda essa rotina, desse mesmo lugar, dessa mesma escola, das mesmas brigas, dos mesmos assuntos. Dar um tempo, sabe? 




Fugir sem rumo, pra lugar nenhum. Passar um tempo sozinha, e talvez fazer novas amizades. Amizades. Eu queria muito há uma semana atras, fazer novas amizades, mas agora já não sei se vale a pena. Amigos são como cachorros, num bom sentido: eu amo cachorros, por isso ao mesmo tempo que quero, não quero um; porque eles não são eternos. E eu não quero passar pela dor da perda de novo. O mesmo para os amigos. Vocês se conhecem, criam laços, dividem segredos, dão risada, se tratam como irmãos. Nunca nada nem ninguém vai nos separar. Mentira. Vai sim. A gente cresce, a gente começa namorar, a gente muda de escola, a gente termina a escola, a gente muda de cidade, a gente começa a trabalhar. E faz novos amigos. Isso é bom, isso é ótimo. Mas nisso, a gente descobre novos interesses, muda de ideia, muda a mente, muda os amigos. E essa é a pior parte, se você for o amigo trocado. Não é ciumes, nem carência, nem sensação de abandono. 


É só... E a nossa amizade? Acabou? É isso? Nós não iamos dividir um apê, não iamos viajar juntos? Eu não ia ser a madrinha do seu casamento? Você não ia andar no meu carro, e cantar comigo, quando eu fosse maior de idade? Então, como os cachorros, as amizades se vão. 


Talvez tenha sido "eterna enquanto durou", talvez tenha sido verdadeira. Ou talvez, nunca foi realmente. 
É então, cada um segue sua vida. Você não fala mais com sua amiga porque sua namorada não gosta dela. Não fala mais com sua amiga porque tá cansada da rotina. Porque precisa passar mai tempo com seu novo namorado. Porque precisa pensar. Porque tá trabalhando, porque fez amigos novos. E nisso, você nem percebe, ela não é mais sua amiga. Ela nunca quis nada de você, apenas que você respondesse um ridiculo sms como antes, que ligasse como antes, que zoasse como antes, que contasse segredos como antes. 
Vocês já não ouvem mais as mesmas bandas, não tiram mais fotos juntos, não veem graça nas mesmas coisas. 
E é assim, que -melhores- amigos viram estranhos. É assim que anos de lealdade não valem mais nada. Porque a vida segue, e as pessoas também. 
Então, fugir sem rumo não seria o certo, mas sim mudar, porque mudar faz parte, as pessoas mudam, os amigos mudam, a gente muda. 


Mudar de ares deve fazer bem. Mas honestamente, ainda prefiro sumir. Porque assim tenho a liberdade de voltar, mesmo sabendo que as coisas vão estar diferentes, já que é natural, elas mudam. E nós também. Ou Talvez eu só precise passear de carro, num túnel, sozinha, ouvindo música alta, me sentindo infinita. Ou rezar. Ou deitar na grama. Ou continuar ouvindo Pink Floyd, Bon Jovi, tomar um Starbucks, ler um livro novo. Tudo isso faz bem. Mas eu não posso realmente sumir, então a única solução é deixar a vida seguir, mudar naturalmente, e deixar que a das pessoas mude também. Faz parte. 


(15 de julho, 00:02, ouvindo Pink Floyd, Lana Del Rey e Imagine Dragons, no meu quarto)

You Might Also Like

0 comentários