Sobre decepções e arroz queimado

2/04/2014 09:26:00 PM

Não, as pessoas não tem a obrigação de serem perfeitas, porém, usando uma das minhas metáforas, é como se eu fosse a jurada de um programa, como o The Voice, te ouvi cantando e gostei, só que aí, conforme sua voz saia pelo microfone, eu percebi que mesmo gostando, ainda não valia a pena eu virar a cadeira, ainda não era merecedor do meu "sim".

 

Porque é cansativo.
Eu sei, eu sei. Sempre uso a palavra "cansada" nos meus textos, mas dessa vez, é no sentido de, hum, como explicarei? É no sentido de: estou suspirando mas não por me sentir sonhadora, e sim por, bem, me sentir cansada.
Repetindo: as pessoas não tem obrigação de serem perfeitas, assim como eu não sou, você não é, ninguém é; só que elas poderiam no mínimo, tentar dar o melhor de si, ou ao menos, fazer por merecer uma cadeira virada, um sim.
Pode ser que não percebam o quão idiota estão sendo, ou, que talvez esse seja apenas o natural, só que são essas pequenas coisas, esses detalhes, essas palavras de duplo, triplo sentido que fazem a diferença, sendo mais clara: que broxam. 






Não chega bem a ser uma decepção quando a gente já espera por ela. Quero dizer, eu não espero o pior dos outros, mas tem pessoas que não nos dão outra alternativa ao não ser essa, esperar por uma decepção, como quando você deixa o arroz no fogo (ai meu Deus), e vai tomar banho: você sabe que ali existe uma probabilidade enorme de você se distrair no banho, fazendo com que você demore mais, o que leva o arroz a queimar; então você vê o arroz queimado e o fita com indiferença, porque você sabia que poderia acontecer isso.

Com pessoas é desse jeito. Tem umas que você sabe que vão "queimar", mas no fundo você tem esperança de que dê certo, só que ao invés de te surpreenderem, elas te decepcionam. Simples assim.

-


You Might Also Like

0 comentários